Fotografia


Meus filmes e rolos
contrastes e quartos escuros
e papéis laminados

todos queimados.

Meus olhos te desejam
numa foto pavimentada de carne
numa moldura de incerteza

que meus pêlos reconheçam
seus pêlos à distânciada aresta
da profana pureza,

oh,máquina não-fotográfica,
humana, não digital.

Meus olhos te desejam
cliques de qualquer porra
psique-loucas, canto de parede
piscadelas e nu-frontal.

numa foto pavimentada de carne
e sangue vívido em cores fluídicas
por debaixo da pele as veias,

numa moldura de incerteza
como qualquer pensamento/lembrança
deve de ser:

semi-imor(t)al.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s